E o Twitter, te pegou?

Já repararam que tudo que existe na vida real da sociedade tem sua correspondência no mundo virtual? Pessoas, empresas, eventos, todos agora tem o seu www ou http:// . Está tudo se adaptando aos moldes da websfera, inclusive os ditos populares, como a  expressão “um passarinho me contou” .   Pois hoje, de fato,  esse passarinho existe, é azul e se chama Twitter.

Fiz um Twitter há 1 ano, mas só recentemente comecei a usá-lo de forma mais ‘assídua’ (pero no mucho).Acho meio boboca essa coisa de ter que ficar dando satisfação do que está fazendo (ex: agora eu vou jantar a sopa de feijão que a minha mãe fez!), ou ficar digitando frases subjetivas demais, verdadeiros enigmas, muitas vezes indireta para alguém que, com certeza, vai ler mas não vai entender.  Além disso,  tenho uma certa dificuldade pra expressar em 140 caracteres o que estou sentindo, achando, pensando, concluindo. Eu sou blogueira, meu negócio é escrever texto, com caracteres ilimitados. Coisa de gente “espaçosa”.

Mas o Twitter tem umas coisas bem interessantes. Dependendo de quem vc segue, pode ficar sabendo das notícias praticamente na hora em que acontecem,  ter indicações de shows, livros ou filmes legais (ou a contra-indicação dos mesmos também), compartilhar um pensamento com alguém, trocar uma ideia. E dar risada.  Sim , porque há criaturinhas que tem o dom de serem engraçadas naquele pequeno espaço. Até quando não querem ser. Ou quando ousam falar com propriedade daquilo que não manjam nada (vide @angbismarchi no dia do debate entre os candidatos à presidência deste país).

Aliás, falando das “celebridadjes“, é preciso dizer que alguns deles twitam coisas muito boas e vale a pena dar um “follow” nesses.  Léo Jaime e Lobão são dois que sigo. Marcelo Tas (do CQC) é outro. Millôr Fernandes  é imprescindível. Tenho o Bonner também na lista, mas ele é meio quietão. Em compensação, há quem use o Twitter como relatório de sua agitada vida social, como essas moças avantajadas corporalmente e com nome de fruta, ex-BBBs, modeletes, aspirantes a ator de Malhação e similares. Seguir esses “famosos” é pedir para ser  bonbardeado por informações tão importantes quanto saber que estrela do mar não tem cérebro.

Mas sempre aparece alguém com alguma coisa que merece ser compartilhada com o mundo, seja pela inteligência, sensibilidade, constatação pertinente ou humor. Como esses twitts que encontrei no dia de hoje:

– “Não adianta discutir aborto agora. Os políticos já nasceram mesmo…” , por @kibeloco

– “Café com adoçante é a prova de que a nossa sociedade vai num rumo muito errado.’ , por @cozinhapequena

– “Sem essa, ô meu! Eu não cheguei até aqui na escala animal pra ser incorruptível”, por @millorfernandes

– “Por que a vida para uns é uma foto 3X4 e para outros uma superprodução em 70 mm?”, por @mafaldadequino

– “119 mi da Mega-Sena já cria problemas. Valor = 9 vezes orçamento anual da cidade do ganhador, que vai viver rodeado de seguranças”, por @marcelotas

– “Não importa o que você diga: sempre alguém vai entender algo absolutamente diferente do que você quis dizer.”, por @LeoJaime

E por ai afora.

Eu não twitto muito, mas se o faço, é geralmente de noite, quando os acontecimentos do dia estão se assentando na minha mente e me fazendo pensar sobre eles. Mas não fiz disso um hábito como milhares já o fizeram, ainda estou vendo se ele serve pra mim. Até me espanto em ver que tenho seguidores…  Não sei o que fiz para consegui-los.  Aliás, esse negócio de me seguir pode ser uma cilada, viu… Sou louca pra me perder!

 

 

Anúncios